Alunos de Publicidade da Unimeta vencem prêmio de comunicação do Ministério Público

athenas Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, Institucional

Com uma campanha sobre violência psicológica, os acadêmicos de Publicidade e Propaganda da Unimeta, João Paulo Magalhães, Adriele Satyrio, Miracélio do Vale e Victor Camelo, foram os vencedores do prêmio de Comunicação/Jornalismo do Ministério Público do Estado do Acre. O evento aconteceu na noite desta quinta-feira, 13, no Afa Jardim em Rio Branco.

O professor do curso, Gilberto Lobo, disse que o destaque acadêmico é importante para o reconhecimento do curso e também para mostrar o potencial desses alunos. “O mérito com certeza é dos acadêmicos e professores, que constroem as atividades com base também nas capacidades profissionais desses alunos, que muito em breve estarão no mercado de trabalho, aptos para desenvolver um bom trabalho”, comentou Lobo.

A também professora do curso, Nayara Lessa, comentou que o prêmio mostra que os alunos da Unimeta, possuem muito talento e isso precisa ser valorizado. “Estamos muito orgulhosos desses alunos. Eles tem alta capacidade profissional e isso foi reconhecido com essa premiação”, completou.

O aluno Miracélio do Vale enfatizou que ser reconhecido faz com que queira ir ainda mais longe. “É a primeira vez que tem essa categoria de Publicidade e Propaganda dentro do prêmio do Ministério Público. E ter recebido nesta primeira edição para nossa categoria é muito gratificante. Estamos no início do curso e já ter ganhado este prêmio, mostra que é possível construir uma comunicação publicitária com mais qualidade em nosso Estado. Não iremos parar por aqui”, afirma.

Gabriel Portela, também aluno do curso, disse que está muito feliz com a vitória dos colegas. “Estou muito feliz por eles e no próximo ano pretendo concorrer também, acho que este tipo de evento, é uma forma de incentivo”, completou o aluno.

Sobre o Prêmio
O Prêmio de Jornalismo do MPAC está em sua 9ª edição e contemplou publicações que tenham sido veiculadas desde o dia 13 de janeiro de 2018 em veículo de comunicação que esteja ativo nos últimos doze meses. Estão credenciados a participar do concurso, os profissionais de comunicação com registro profissional e acadêmicos de comunicação.

Os materiais foram escritos nas seguintes categorias: Jornalismo Impresso (jornais impressos e revistas), Telejornalismo (emissoras de televisão), Radiojornalismo (emissoras de rádio), Webjornalismo (websites), Fotojornalismo (fotos em jornal impresso, revistas ou sites) e Destaque Acadêmico (trabalhos de estudantes de Jornalismo e Publicidade e Propaganda).

A proposta do prêmio é estimular a publicação de reportagens com enfoque no debate sobre segurança pública e direitos humanos, associadas à promoção da Justiça, por reconhecer a função social da mídia e sua importante ação como formadora de opinião e propagadora de informações.

Com informações da Ascom do MPAC